Projeto Cuidar

Projeto Cuidar

A pandemia trouxe para igreja étnica nos EUA, ao mesmo tempo apreensões, incertezas, medos e expectativas. O primeiro choque foi a necessidade de “manter” a igreja sem a possibilidade dela reunir-se presencialmente. Isso trouxe o desafio de encarar com seriedade e determinação o uso da tecnologia e o necessário investimento de tempo, recursos e treinamento, numa urgente imersão nas avenidas virtuais e seus naturais dedobramentos, que fariam sugir a igreja online, presente junto aos que não podiam mais estar presentes. Os primeiros mêses foram de tentativas, estudos, frustrações, descobertas e aprendizado. Depois a igreja foi se encontrando e entendendo melhor como deveria se mover em meio às turbulências da crise pandêmica. 

A Family Church (Igreja da Família) em Windermere, fica na chamada Grande Orlando, na região central do Estado da Florida, nos EUA. Ela é uma igreja de 54 anos de vida, que há 6 anos fez um “merge”  com a CBBO – Comunidade Batista Brasileira de Orlando e, há 3 anos iniciou um ministéiro com hispanos. Hojé é uma igreja com 12 cultos dominicais, relizados em 5 campus, em 3 línguas (8 cultos em Inglês, 3 cultos em Português e 1 culto em  Espanhol). Cada comunidade (americana, brasileira e hispana) precisou buscar alternativas e encontrar caminhos para alcançar pessoas e ministrar a elas a graça de Deus. 

A comunidade brasileria da igreja logo percebeu que alcançaria melhor as pessoas de fala portuguesa através das plataformas digitais. Os brasileiros não reagiram positivamente à transmissão de cultos em tempo real, tampouco gravados. Descobrimos a plataformna Webex da Cisco, e a usamos tanto para a realização de cultos interativos quanto para os encontros dos pequenos grupos que precisamos organizar, para cuidar das pessoas. Durante a pandemia a igreja recebeu novos membros, realizou batismos, iniciou novos pequenos grupos online, os pastores e diáconos realizaram visitas virtuais e até uma conferências jovem – AWAKE 2020 –  totalmente online, foi realizada com inscrições de mais de 7 mil jovens de cerca de 22 países! 

Assim aprendemos na prática o que em muitas partes do mundo, onde os cristãos não podem se reunir em templos, já sabiam: Igreja não é prédio! A igreja de verdade somos nós, espalhados pela cidade, vivendo o Evangelho de Jesus Cristo. Durante o ano 2020, Deus nos permitiu assimiliar esta verdade na nossa praxis de igreja. Até que as reuniões presenciais começaram a ser possiveis, com as devidas restrições e protocolos de segurança. A igreja começou, aos poucos, a reunir-se presencialmente novamente. 

Pessoas dos chamados grupos de riscos, anciãos, pais com filhos récem nascidos e as que nutrem ainda receio de se expor a ambientes com mais pessoas, retardam, naturalmente, a retomada de sua frequência. Os cultos são transmitidos  em tempo real pelos canais da igreja nas redes sociais e também pelo website. Não há pressão nem obstinação para que todos voltem a reunirem-se presencialmente, mesmo estando hoje vivendo na Florida uma realidade bem mais amena, com boa parte da população já vacinada e a curva de contaminados e mortos por COVID-19 em decréscimo. Tudo segue com tranquilidade e a igreja muito zelosa com observância constante dos protocolos de segurança, colocando sempre a segurança de todos em primeiro lugar. Graças a Deus, no entando, nos últimos mêses os cultos seguem regularmente, presencialmente e online, e verificamos cada vez mais pessoas vindo às reuniões presenciais. 

No início do ano realizamos mais uma mini-vigília interativa pela plataforma virtual. Foi uma grande bênção. Durante os momentos de reflexão bíblica, Deus tocou muito em meu coração, mostrando-me que a igreja não poderia de conformar com o papel de trabalhar para se proteger do vírus, de ficar numa posição de retaguarda, reativa às notícias e alerta às orientações das autoridade, ao tempo em que tentava ampliar seu alcanse de vidas pela Internet, analisando métricas e criando formas de estar mais e mais presente online. Isso estava sendo pouco demais… 

A pergunta com a qual Deus sacudiu meu coração foi: Como nós, como Igreja, podemos ajudar os brasileiros que vivem na Grande Orlando durante esta pandemia? Responder a esta pergunta implicava em mudar radicalmente a nossa perspectiva da crise, saindo da condição de meramente vítimas para a de agentes de mudança. Só esta sacudida do Espírito Santo já nos abençoou grandemente. 

Veio logo ao meu coração os brasileros em quarentena. Como ajudá-los? Como demonstrar amor a eles? Como chegar junto com carinho e solidariedade? Não era o caso, necessariamente, de auxílio com comida etc, pois a quarentena não visitava apenas pessoas materialmente carentes. Surgiu o PROJETO CUIDAR

Nos propusemos a identificar famílias brasileiras em quarentena por conta da COVID-19 na Grande Orlando. A ideia era encontrar brasileiros em quarentena, levar a eles o que batizamos de ‘cesta de carinho’, com bolachas, bolos, pães, queijos, sucos, requeijão, chás; também máscaras, alcool em gel e outros mimos. Juntos colocamos uma cartinha demostrando a solidariedade da igreja e também um exemplar da Bíblia Sagrada. 

Formamos as equeipes: Logística, Captação de famílias, Doações e Compras, Organização das bolsas e Entrega. Logo vários irmãos se voluntariaram! Lançamos o projeto, as equipes começaram trabalhar, começaram as doações, os brasileiros em quarentenas começaram ser identificados etc. No primeiro Sábado de manhã, lá estavam as bolsas prontas e a equipe de entrega a postos para a primeira ação de carinho aos brasileiros em quarentena! 

Desde então, cada Sábado, uma equipe sai da igreja com as bolsas, às vezes poucas famílias, às vezes mais. O PROJETO CUIDAR foi uma resposta da Igreja da Família à crise, olhando-a agora como oportunidade para servir e demonstrar o amor de Cristo. Incrivel como esta mudança de perspectiva abençoou e edificou a igreja? 

Logo começaram chegar os testemunhos. Gente emocionada recebendo o nosso gesto como um abraço de Deus em suas vidas. Pessoas escrevendo agradecendo. Sorrisos largos de gente sendo surpreendida com o carinho recebido. Abrir a porta de casa olhar e ver um linda cesta com tanta coisa boa, apenas para dizer: Você não está sozinho! Começou ser uma experiência boa demais para muitos brasileiros. 

Enquanto eu escrevo este texto o PROJETO CUIDAR já havia contabilizado 61 famílias abençoadas! Não é maravilhoso? Já fizemos diferença na vida de 61 familias de brasileros em Orlando, enquando elas vivenciavam a quarentena! Deus seja louvado por esta mudança de perspectiva em nossa igreja! Deus seja louvado por voluntários que abraçaram a visão! Deus seja louvado por nos permitir chegar em 61 famílias até agora, apenas para demostrar o amor de Cristo! 

Na verdade todos podemos fazer algo para ajudar e servir durante a crise. Mas para que isso aconteça, é necessário mudar a perspectiva. Precisamos entender que não somos meramente vítimas de uma pandemia, antes somos chamados por Deus para sermos, como igreja, agentes de mudança. Isso, a igreja é a maior agência de transformação de vidas e de realidades do mundo! 

Realidade não é destino! A igreja, com sua visão sarada e de posse de uma perspectiva transformadora da crise, muda a realidade! 

LINKS PARA RECURSOS: 

Prayer

Lord, we ask for your mercy in all the places where the pandemic is causing the death of so many people. We ask for your comfort for the families who now suffer the pain of the loss of their loved ones. Finally, we ask that you wake up your Church to adopt a different, liberating, peacemaking, and transforming perspective. We pray that the world may believe that you have sent us at this time to activate a true and profound project of change in the world, beginning with ourselves. In Jesus’s name, Amen. 

Para Reflexão e Discussão

  1. Qual tem sido a perspectiva da sua igreja neste tempo de pandemia? 
  2. Será que definir se vai ou não suspender os cultos presenciais é única decisão que sua igreja precisa tomar neste tempo de crise? 
  3. Olhando para a crise como ambiência geradora de oportunidades, quais seriam as oportunidades que Deus tem colocado diante da sua igreja? 
  4. Onde está o foco da liderança da sua igreja, ainda na grande comissão ou alimentando a vitimização? 
  5. Em que o PROJETO CUIDAR encoraja e desafia sua igreja a fazer diferença neste tempo de morte, tristeza e solidão?